Segundo o Comitê da Assembleia Nacional encarregada da revisão, só assim os inspetores do Governo terão plena autoridade para auditar, pesquisar as denúncias e prevenir a corrupção.

A nova lei aspira a elevar o estatus, papel, independência e responsabilidade dos auditores governamentais, necessitados de maior organização e comunicação entre eles.

O titular do Comitê de Finanças e Orçamento, Ha Van Hien, propôs que o documento precise as consequências que terá a contravenção desta lei, que será votada no próximo mês.

Hien estima que o documento é vago ao definir as potestades e deveres dos inspetores, e outros legisladores assinalam falta de clareza na definição dos métodos de inspeção.

De acordo com o chefe da Controladoria, Tran Van Truyen, somente em 2010 as agências estatais têm recebido umas 158 mil queixas da população, destas, 17 por cento com respeito ao passado ano.

A maioria das queixas e denúncias têm que ver com disputas de terra e propriedades, caldo de cultivo de corrupção, violações de políticas sociais e construções ilegais.

O problema é propiciado, apontou Truyen, pela inépcia das autoridades para fazer cumprir a lei, muitas vezes deliberadamente, devido a subornos ou ao pobre treinamento das agências.

Em tal sentido, o deputado Tran Dinh Dan sugeriu à Assembleia que antes revisasse a Lei de Terras, cujo conhecimento e aplicação resulta crucial neste auge construtivo que vive o Vietnã.

Prensa Latina (.cu) - 30 de setembro de 2010