Cerca de trinta exemplares deste réptil, endémico do Sudeste da Asiático, foram aclimatados à vida selvagem no parque nacional de Cat Tien, de onde alguns deles passados nove anos se reproduziram com sucesso.

"É o primeiro projecto de reintrodução destes crocodilos no mundo. Todos os anos vamos lá e vemos os seus olhos a brilhar na água, não sabemos quantos são exactamente, mas sabemos que têm nascido muitos bebés que se adaptaram bem à vida selvagem ", explica Ton Hung, proprietário da herdade de crocodilos de Hoaca na cidade de Ho Chi Minh (antigo Saigão).

Hung, principal impulsor deste programa possui mais de 20.000 répteis em herdades localizadas no sul do país. Seleccionou com a ajuda de científicos da Universidade australiana de Queensland, um total de 24 amostras (8 machos e 16 fêmeas) de raça pura para ser reintroduzida em Cat Tien. "Dos 100 animais seleccionados inicialmente, apenas 24 foram considerados de raça pura. Nas herdades há muitas misturas e é difícil distinguir um autêntico sem um teste científico", indica o vietnamita.

Este crocodilo desapareceu oficialmente do Vietnanme em 1987, quando as autoridades estimam que foi capturado o último exemplar selvagem desta espécie. Os principais responsáveis pelo seu desaparecimento foram a poluição da água, a construção de redes hidroeléctricas nos rios e, sobretudo, a caça furtiva. No entanto, o réptil, que pode chegar aos três metros de comprimento, sobreviveu em cativeiro, em grande parte devido ao desenvolvimento das crias de crocodilos nas herdades. A introdução no meio selvagem dos animais nascidos em cativeiro não foi fácil, e durante um ano os jovens répteis seleccionados foram treinados para aprender a encontrar seu próprio alimento e a desenvolverem-se sem a ajuda do homem.

Nove anos depois, a população selvagem tem assentado e tem uma boa base para crescer, mas o criador advertiu que o caminho será longo e até dentro de 5 ou 6 anos não poderá ser um balanço definitivo desta experiência.

O crocodilo siamês é uma das espécies mais ameaçadas do mundo e os vários relatórios alertam para a sua extinção definitiva em 1992, apesar de terem sido encontrados depois alguns espécimes na Birmânia, Camboja, Laos e Tailândia.

Par Ana Ganhão - Naturlink (.pt) - 19 de novembro de 2010